Presença Italiana em São Paulo – Teatro Municipal

Uma das novidades do novo Ci Vediamo são os textos da “Presença Italiana em São Paulo / Presenza Italiana a San Paolo”. A partir da edição n°307, publicaremos notas sobre os monumentos criados por arquitetos e artistas italianos em São Paulo, elaboradas pelo IPH – Instituto de Recuperação do Patrimônio Histórico no Estado de São Paulo, que está preparando um livro sobre o tema a ser publicado no início de 2017. A primeira nota é sobre o Teatro Municipal de São Paulo. Confira:

PresençaItaliana
TEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO (1911)
Domiziano Rossi (Genova, 1865 – São Paulo, 1920)
Claudio Rossi (Capri, 1850 – Baviera, 1935)
Ramos de Azevedo (São Paulo, 1851 – 1928)

De acordo com o projeto dos arquitetos italianos Domiziano Rossi e Claudio Rossi (que, apesar do nome, não eram parentes) a construção do Teatro Municipal realizada pelo escritório Ramos de Azevedo teve início em 1903, tendo sido concluída em 1911.
Nomes consagrados da arte lírica, sinfônica e do ballet se apresentaram no palco do Municipal nos mais de 100 anos de história.
Vale relembrar que foi palco da Semana de Arte Moderna de 1922, marco de grandes mudanças no movimento artístico brasileiro que contou com a participação de escritores, artistas plásticos, músicos e arquitetos empenhados em transformar a visão da arte do Brasil na época.

_____________________________________________________
Presença Italiana 2Versão em italiano:
TEATRO MUNICIPALE DI SAN PAOLO (1911)
Domiziano Rossi (Genova, 1865 – San Paolo, 1920)
Claudio Rossi (Capri, 1850 – Baviera, 1935)
Ramos de Azevedo (San Paolo, 1851 – 1928)

Su progetto degli architetti italiani Domiziano Rossi e Claudio Rossi (che nonostante lo stesso cognome non erano parenti) la costruzione del Teatro Municipale, realizzata dallo Studio Ramos de Azevedo, ebbe inizio nem 1903 e si concluse nel 1911.
Nomi consacrati dell’arte lírica, sinfonica e del balletto si presentarono sul palco del Municipale nei suoi piu cento anni di storia.
Vale la pena ricordare che fù palcoscenico della Settimana dell’Arte Moderna del 1922, marcando grandi cambiamenti nel movimento artístico brasiliano che si avvalse della partecipazione di scrittori, artisti plastici, musicisti e architetti impegnati a transformare la visione dell’arte del Brasile nell’epoca.

Leia o Ci Vediamo na íntegra aqui.

BrazilItaly